domingo, 23 de junho de 2013

Exercício - das Revoltas Colonial a Independência do Brasil

1)Responda, relacionando o nome dos movimentos sociais apresentados com suas respectivas características:
(1) – Revolta de Beckman
(2) – Guerra dos Emboabas
(3) – Guerra dos Mascates
(4) – Revolta de Filipe dos Santos
(   ) Luta dos comerciantes para elevar Recife à categoria de vila, em oposição aos produtores de açúcar de Olinda.
(   ) Combate ao monopólio e aos altos preços praticados pela Companhia de Comércio do Maranhão, e também aos jesuítas, que queriam impedir os grandes proprietários de escravizar os indígenas.
(   ) Movimento em oposição às casas de fundição, que haviam aumentado a exploração da Coroa sobre os mineiros.
(   ) Luta entre paulistas e forasteiros pelo domínio da região das Minas Gerais, reivindicada por aqueles. Levou à separação da região das minas da Capitania de São Paulo e à criação da Capitania de Minas Gerais.

2) Responda, relacionando o nome dos movimentos sociais separatista apresentados com suas respectivas características:
(1) Conjuração Baiana
(2) Revolução Pernambucana 
(3) Inconfidência Mineira,
(     ) A revolta dos mineiros contra a exploração dos portugueses pretendia tornar Minas Gerais independente de Portugal.
(     ) O movimento ocorrido na Bahia pretendia separar o Brasil de Portugal e acabar com o trabalho escravo.
(     ) Ocorreu em  1817, teve como causas: decadência econômica de Pernambuco, altos impostos e privilégios aos comerciantes portugueses.

3) A Inconfidência Mineira (1789) é considerada como o início do processo de emancipação política do Brasil, e seu valor é inegável. No entanto, o projeto dos chamados “inconfidentes” apresentava limites, pois:
(A) - buscava o isolamento, rejeitando apoios externos;
(B) - ignorava a experiência republicana dos EUA;
(C) - não questionava a legitimidade do escravismo;
(D) - não questionava as bases do Pacto Colonial;
(E) - rejeitava os postulados político-filosóficos do Iluminismo.

4) Em 12 de agosto de 1798, manuscritos apareceram afixados nas paredes das casas, igrejas e lugares públicos da capital de uma capitania brasileira. O panfleto acima refere-se à:
(A) - Conjuração dos Suassunas;
(B) - Revolta de Beckman;
(C) - Revolta de Filipe dos Santos;
(D) - Confederação do Equador;
(E) - Conjuração dos Alfaiates.

5) Não existiu dominação colonial sem resistência política, que formava a base para autonomia posterior dos povos colonizados. No Brasil, muitas rebeliões marcaram a luta contra Portugal. Uma delas,  foi a Revolução de 1817, em Pernambuco, que: 
(A) - contou com a participação da elite, inclusive dos membros do clero da Igreja;
(B) - recebeu muita solidariedade das províncias vizinhas,
Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte que aderiram ao movimento.
(C) - teve características semelhantes à Revolta dos Alfaiates na Bahia do século XVIII, libertando os escravos;
(D) - mostrou, em sua ideias, relações com o liberalismo europeu;
(E) - fracassou logo no início, embora seja muito exaltada pela historiografia.

6) Sobre a vinda da Família real (a Coroa Portuguesa) para o Brasil, é correto afirmar que:
(A) O bloqueio continental decretado por Napoleão Bonaparte foi a gota d´água para a mudança da sede da corte
(B) Apesar da vinda da família real para o Brasil, o monopólio comercial de Portugal continuou.
(C)  A abertura dos portos brasileiros às nações amigas beneficiou principalmente à Inglaterra
(D) A abertura dos portos beneficiou o desenvolvimento industrial do Brasil.


7) A respeito da Independência do Brasil, é válido afirmar que:
a) foi um arranjo político que preservou a monarquia como forma de governo e também os privilégios da classe proprietária;
b) as camadas senhoriais, defensoras do liberalismo político, pretendiam não apenas a emancipação política, mas a alteração das estruturas econômicas;
c) foi um processo revolucionário, pois contou com intensa participação popular;
d) o liberalismo defendido pela aristocracia rural apoiava a emancipação dos escravos;
e) resultou do receio de D. Pedro I de perder o poder, aliado ao seu nacionalismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário